sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Sabonetes artesanais: Como legalizar a produção

Por Marcela Tavares


Sabonetes artesanais são um produto chamativo, bonito e que vendem bem, seja para consumo próprio, ou para servir de presente.
Mas a fabricação e comercialização dos sabonetes, que fazem parte da categoria de cosméticos, é regulamentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que exige registro de todas as fórmulas utilizadas e um químico responsável por elas.
Conheça mais sobre este agradável negócio e saiba como profissionalizar a sua produção.
Investimento e preços
A primeira providência é saber como fabricar os sabonetes. Cursos são oferecidos em vários centros de artesanato, e custam em média R$ 60,00 para iniciantes e mais R$ 60,00 para um curso mais avançado.
Mesmo sabendo manipular, você obrigatoriamente vai ter que ter em sua empresa um químico responsável pela fórmula dos sabonetes que vai comercializar.
Quanto aos materiais (clique aqui para conhecer todos e conhecer alguns modelos de sabonetes artesanais), em média você gasta R$ 14,00 por cada quilo de sabonete que produzir.
Para fazer o preço, você pode colocar até 100% em cima do que investiu, ou seja, um quilo de sabonete que custou R$ 14,00 pode ser comercializado por até R$ 30,00.
"Preço baixo atrai clientes, mas se o sabonete perde o cheio depois de dois dias, ele nunca mais comprará a sua marca. Não vale a pena comprar materiais mais baratos, que ainda podem representar um risco à saúde dos clientes", aconselha Márcia Alcazar, que ministra aulas de fabricação de sabonetes.
Embalagem
A embalagem, além de vistosa, tem que seguir os regulamentos da Anvisa, que exige determinadas informações, como nome da empresa, CNPJ, telefone do serviço de atendimento ao consumidor, prazo de validade, composição, dentre outros. Clique aqui para consultar a legislação de cosméticos.

"Existe uma grande variedade de embalagens no mercado. Mas preste atenção no público que vai comprar. Não adianta fazer uma embalagem luxuosa se você vai vender para pessoas com baixo poder aquisitivo", explica.
Para mais dicas de como realçar o produto com embalagens, clique aqui para ler uma matéria sobre o assunto.

Onde vender
Além de farmácias, lojas de presente e de cosméticos, uma boa alternativa é vender os sabonetes em salões de beleza. "Geralmente os produtos são deixados em consignação. É bom deixar pequenas quantidades em uma primeira vez e depois ir aumentando de acordo com os pedidos", explica Márcia.
"No caso de sabonetes, o boca-a-boca é o que traz mais resultados. Assim, é importante ter visível na embalagem um telefone de contato com a sua empresa", aconselha a artesã.
Tendências
È sempre bom olhar em revistas e lojas o que existe de novo no mercado, novas fragrâncias, embalagens, cores. Mas cuidado para não fazer clones e perder a personalidade. "Você pode copiar de tudo, mas tem que tentar imprimir a sua marca. Sem isso, a concorrência te engole", conta Márcia.
Importante também é ficar de olho no calendário para aproveitar o movimento das datas comemorativas. "No dia das crianças é bom fazer sabonetes com o formato do desenho da moda. Já no Natal você pode usar embalagens com as cores da festa", aconselha a artesã.
Burocracia
Além de registrar a sua empresa, você vai ter que legalizar a empresa e cadastrar o estabelecimento de acordo com as regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Secretaria de Vigilância Sanitária de seu estado e cidade.
"Como você vai lidar com um produto que interfere na saúde do cliente, tem que seguir à risca as regras de instalação e fabricação. A fiscalização existe e é eficiente nessa área", afirma Sandra Regina Bruna Fiorentini, advogada e consultora do Sebrae.
Finalmente, é necessário pedir o registro de todos os produtos na Anvisa. Você vai ter que enviar para o organismo a fórmula, amostra da embalagem, informações gerais sobre o produto, o nome do químico responsável, dentre outros itens. O registro deve ser solicitado através da Internet. Clique aqui para ler a legislação de registro.

Links importantes
O site da Anvisa tem todas as informações e guias para a abertura de empresa fabricante de cosméticos. Clique nos links abaixo para pegar as informações.
Como pedir autorização de funcionamento

Como conseguir o Certificado de Boas Regras de Fabricação

Definição legal de cosméticos e pareceres técnicos relativos à área

Legislação de componentes permitidos e proibidos, informações sobre embalagem e documentação necessária para o registro de produtos

Guia para Avaliação de Segurança de Produtos Cosméticos

Mais leis sobre a fabricação de cosméticos



(Fonte Sabão e glicerina)

54 comentários:

  1. é triste, burocrático e desanimador... A ANVISA solicita projetos onde só o arquiteto cabra em média 120,00 o metro quadrado, ai vc paga todas as tachas do seu comércio e precisa de um farmaceutico para ser Responsável Técnico que cobra R$1.728,00 por mes... além disso, precisa se cadastrar na ANVISA através do sit deles (sem mensionar na papelada) e é cobrado uma taxa anual deste cadastro de R$500,00 por ano, só para que vc possa vender 25 sabonetes de glicerina pura para recem nascidos alérgicos a sabonetes industrializados, então é melhor parar de fabricar e TODO MUNDO continuar na ilegalidade, pois na feira de domingo e de boca em boca, e deixar consignado no salão de beleza da esquina PODI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite! Também mandei um e-mail para Peter Paiva ele não poderá resolver nosso problema, infelizmente não depende dele! NA VERDADE VIVEMOS EM PAIS CORRUPTO, ONDE OS RESPONSÁVEIS DA ANVISA INFELIZMENTE SÃ MANIPULADOS PELA POLITICA DAS GRANDES INDUSTRIAS QUÍMICAS, ONDE JOGAR CLORO NA ÁGUA QUE BEBEMOS É LEGAL E APROVADO ( NOS ESTADOS UNIDOS O CLORO É REGISTRADO COMO PESTICIDA, SÓ SERVE PARA MATAR ), COLOCAR FLÚOR NA PASTA DE DENTE QUE NÃO SERVE PARA NADA ALEM DE CAUSAR DANOS AO CORPO HUMANO, ISSO É LEGAL. OS MÉDICOS E FARMÁCIAS VENDER QUÍMICOS PARA TRATAR DOENÇAS, SIM ALGUNS RESOLVEM AJUDAM E ALIVIAM DORES, MAIS E OS EFEITOS COLATEIRAS QUE CAUSAM A MÉDIO E LONGO PRAZO, PORQUE NÃO FISCALIZAR ISSO, QUE ANVISA, QUE SECRETÁRIA DA AGRICULTURA QUE NADA, SÃO PROFISSIONAIS INCAPACITADOS, SEM INFORMAÇÃO, "SÃO FANTOCHES MANIPULADOS PELA MÁFIA DA INDUSTRIA QUÍMICA,COM FINS LUCRATIVOS QUE CUSTAM A VIDA E A SAÚDE HUMANA" ELES NEM SABEM OQUE CAUSA MUITAS DOENÇAS NO NOSSO DIA A DIA E VEM COM UM MONTE DE BUROCRACIA PARA NÓS QUE QUEREMOS COMPRAR BASES PRONTAS E COLOCAR ALGUMA ESSÊNCIA E UNS ATIVOS E ÓLEOS NATURAIS DIZENDO QUE VAMOS CAUSAR DANO A SAÚDE PUBLICA, PORQUE NÃO CONTROLAM E PROÍBEM OS REFRIGERANTES, ESTA PROVADO QUE CAUSAM CÂNCER OSTEOPOROSE,POR SEREM FABRICADOS COM ÁGUAS TEM PH ABAIXO DE 4 E DESESTRUTURAM OS OSSOS, A ÁGUA EM GARRAFAS PLÁSTICA QUE TEM PH EM TORNO DE 5 A 6 E LIBERAM TOXINAS QUE ENGORDAS E PRODUZEM CELULITES E CÂNCER, BUSQUEM NO YOUTUBE DR. LAIR RIBEIRO, VOCÊS VÃO ENTENDER QUE POR EXEMPLO A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE E MEDICINA COLOCA O BRASIL NA 125 POSIÇÃO NA MEDICINA ENQUANTO A BOLÍVIA ESTA EM 126 DEPOIS DIZEM QUE AS PESSOAS QUE SE FORMAM EM MEDICINA LA NÃO PODEM EXERCER MEDICINA AQUI NO BRASIL E CUBA UM PAIS MISERÁVEL ESTA EM 39 LUGAR, ONDE ELES INSTALARAM NOS 41 HOSPITAIS PÚBLICOS FOI INSTALADO A OZÔNIO TERAPIA ( PERGUNTA SE OS RESPONSÁVEIS DA ANVISA SABEM OQUE É OZÔNIO TERAPIA? PERGUNTA PARA O SEU MÉDIOS SE ELE SABE E SE SABE PORQUE NÃO CURA O CÂNCER COM ESSE MÉTODO NÃO É PROVADO PELA ANVISA E UTILIZADO PELA MEDICINA? ) NA VERDADE ANVISA E QUALQUER ÓRGÃO PUBLICO NÃO PASSA DE CORRUPÇÃO E INTERESSES PARTICULARES, VERGONHA, POLÍTICOS SUJOS E QUE NÃO VALEM NADA... ASSISTAM: DR LAIR RIBEIRO 08 09 2012 PROGRAMA VIVA MAIS - VOCÊS VÃO ENTENDER QUE O FUTURO JÁ CHEGOU! PENA QUE É MAU DISTRIBUÍDOS, MÉDICOS CRIEM VERGONHA NA CARA E BUSQUEM INFORMAÇÃO, REPARECEM PARA APRENDER COM SEUS PACIENTES, ANVISA VOCÊS DEVERIAM RESPONDER PROCESSOS E SER DESPEDIDOS MERECEM VOLTAR PRA ROÇA PEGAR NO CABO DA INCHADA SEU INCAPACITADOS SEUS INCAPACITADOS SEM COMPETÊNCIA. E O GOVERNO DE POSSIBILIDADES DOS PEQUENOS COMPETIREM COM OS GRANDES... OS PROBLEMAS DE NOSSOS "PROFISSIONAIS CAPACITADOS" COMEÇA NA FACULDADE ONDE A MAIORIA VAI PRA LA PARA VIVER NA FESTA E NA BEBEDEIRA E NÃO SE PREOCUPAM EM ESTUDAR E APRENDER, INFELIZMENTE TERIA QUE COMEÇAR A FISCALIZAÇÃO NAS UNIVERSIDADES, TALVEZ OS COMPETENTES DA ANVISA PODERIA FAZER ESTE TRABALHO QUE PARA OUTRA COISA NÃO SERVEM... NOSSO ROLA INFORMAÇÃO É SÓ ADICIONAR: https://www.facebook.com/wendyyulieth.martineziguaran

      Excluir
  2. hehehe...é verdade msm...Uma pena que o proprio governo não de esse insentivo para quem está começando..
    Tudo bem, que agora ele crio essa no empreendedor...mas quem garante que isso daria certo para as mini micro pequenas empresas?

    ResponderExcluir
  3. bom dia!
    EXPLICA COMO É ESSE PROJETO DO EMPREENDEDOR?GRATA.

    ResponderExcluir
  4. Para quem está começando é bem difícil mesmo.Comecei a fabricar sabonetes há um mês e pouco,vendo bem,já tenho clientes fiéis,mas pra quem está tão empolgada como eu neste negócio,a tendência é pensar mais alto.Gostaria de fazer um catálogo com fotos,preços...isso expandiria minhas vendas,mas não sei se posso fazer isso sem regitrar meu negócio.
    Ficaria muito grata se alguém me esclarecesse isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, sou estudante de farmácia!
      uma profissão responsável por tudo da área de cosmético, posso dizer assim.
      bem o primeiro de tudo vc terá de ter um farmacêutico para poder responder pela sua empresa em nível de fórmulas.
      e depois terá de correr atras de toda papelada da ANVISA.
      não te desanimando, mas se vc quiser levar isso ao nível de regularização aconselho a procurar o SEBRAE e aprofundar bastante no assunto que é um tanto trabalhoso, mas nada impossível e muito gratificante.

      Excluir
    2. faraceutico ou químico responsável!

      Excluir
  5. Gostei do Blog. Amo arte e artesanato.
    Abraços.

    www.descobrindojaneausten.blogspot.com
    www.falarsobrearte.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Na verdade vc acaba ficando extremamente indignada com nosso pais e toda essa burocracia idiota que só funciona para poucos e os poucos que não tem dinheiro. Eu trabalhava como informal a 8 anos, hj descobri que o trabalho artesanal em sabonetes e clandestino, pq abri uma loja, e pq abri a loja, pq o governo diz "saia do informal e se legalize" para que? para pagar um importo mensal, o Sebrae, que lindo, fiz curso, muito fofo eles, mas n funciona! conselho simples, não abram loja p vender sabonetes, continuem trabalhando na clandestinidade pq nosso pais é uma merda para quem quer trabalhar direito. Então n trabalhe direito, pq se fizer o contrário com certeza vc n vai conseguir ganhar dinheiro. INFELIZMENTE

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente ...nao tem como trabalhar nesse pais com essa palhaçada toda que acontece principalmente com a classe trabalhadore e com quem exatamente quer crescer nao vida ...
    o governo proibi qualquer brasileiro crescer..

    PAÍS CORRUPTOOOOOOOOOOOO

    ResponderExcluir
  8. Estou começando agora nesse ramo e, como muitos aqui, também comecei a me interessar pela legislação para regulamentação e regras da ANVISA. Mas pelo jeito a situação é dura mesmo para micro fabricantes, uma pena.

    ResponderExcluir
  9. Se eu fizer os sabonetes, na clandestinagem claro, colocar pra venderem uma farmacia e a vigilancia sanitaria bater lá, dá problema pra mim, ou pra farmacia? se for pra mim, o que eu pago? será multa ou impedimento de fabricar? minha irma é farmaceutica, será que ela poderia ser responsavel pelos produtos sem eu legalizar na anvisa? se a multa for para o comercio, qual seria a multa? será que eu posso colocar na embalagem qaue existe um rresponsavel mesmo sem eu me registrar na anvisa?

    ResponderExcluir
  10. Uma pergunta.Peter Paiva começou como?E programas de tv ensinam como fazer sabonetes e tudo mais ..e nao dizem que precisa de tudo isso?e o governo permite que haja cursos de sabonetes e incentivo para ter seu proprio negocio?de boa isso nunca funcionou..na verdade nem os orgãos publicos entendem essas leis .concordo que por ser algo que esta diretamente ligada com corpo humano deve ter regras ate porque tem pessoas que usam qualquer produto para fazer sabonetes..mas resumindo é tudo complexo

    ResponderExcluir
  11. Acabei de me desanimar. Como alguém aí disse, como eles ensinam na TV e tudo o mais sem mencionar as burocracias? Estava super empolgada. Já tenho nome, logo, cores, alguns produtos para começar já pesando grande, mas depois de ver tanta burocracia.....
    Achei que o governo estava dando mais incentivos para quem está começando, mas pelo visto.
    E eu continuo sem entender uma coisa, sabonetes artesanais é manipulação de matéria prima, ou seja, quem deve estar registrado e tudo mais não é a matéria prima?
    Fazer os sabonetes não é processo químico e sim físico.
    Ainda tenho uma esperança. Achei o trecho abaixo em outro blog:

    Para a vigilância sanitária, é proibido extrair, produzir, fabricar, transformar, preparar, manipular, purificar, fracionar, embalar ou reembalar, importar, exportar, armazenar, expedir, transportar, comprar, vender, ceder ou usar alimentos, produtos alimentícios, medicamentos, drogas, insumos farmacêuticos, produtos dietéticos, de higiene, cosméticos, correlatos, embalagens, saneantes, utensílios e aparelhos que interessem à saúde pública ou individual, sem registro, licença, ou autorizações do órgão sanitário competente ou contrariando o disposto na legislação sanitária pertinente, sob pena de advertência, apreensão e inutilização, interdição, cancelamento do registro, e/ou multa.

    Vocês, certamente, devem estar se questionando: Precisamos, então, de licença da Vigilância Sanitária para fabricar produtos de higiene e cosméticos artesanais?

    Não. Definitivamente, não.

    Essa obrigatoriedade é válida apenas para produtos industrializados, ou seja, produtos que são fabricados com a utilização de máquinas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estava fazendo algumas pesquisas qdo li sua colocação. Desculpe, mas você está equivocado. Sim. Precisa sim de Licença da ANVISA. Veja que em nenhum momento eles mencionam máquina. A palavra TRANSFORMAR no texto acima significa que, você vai adicionar várias matérias primas para fabricar, por exemplo, sabonete. Isso é manipular, preparar, transformar e fracionar. Ou seja, encaixa-se perfeitamente. Infelizmente é muito burocrático, mas faz-se necessário porque muitos produtos clandestinos colocam a saúde das pessoas em risco.

      Excluir
  12. tenho enteresse em ter uma linha de cosmeticos tercerizados gostaria de saber quanto e para faser o registro de cada cosmetico na anvisa?
    eo que mais tenho de pagar para legalisa esses cosmeticos?

    ResponderExcluir
  13. Uma coisa eu sei, andei pesquisando e converssando diretamente com a ANVISA, e nós temos que seguir os mesmos pardões de grandes industrias...
    MESMO SENDO ARTESANAL, SE ELES PEGAREM, DA APREENÇÃO E MULTA...
    Temos que unir forças para pedir uma lei espcífica para os artesões...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e o q vcs acham de comeca-mos imediatamente um protesto?poderia-mos arrumar bastantes assinaturas para enviar a nossa predsidenta..eu tbem trabalho com sabonetes,e sofro do mesmo problema,sem poder me desenvolver...vamos la,vamos fazer barulho,quem sabe nos consigamos uma lei especifica para artesoes,nao seria maravilhoso???quem quizer...paulacamilo9@hotmail.com

      Excluir
  14. CONCORDO AS VEZES MUITAS PESSOAS DEIXAM DE REALIZAR SEUS SONHOS POR ESSES MOTIVOS TIDO E MUITO DIFICIL E DEMORADO SERÁ QUE ISSO PODE MUDAR UM DIA DANDO MAIS OPORTUNIDADES PARA AS PESSOAS QUE DESEJAM REALIZAR UM SONHO.....

    ResponderExcluir
  15. Nesse país quem quer trabalhar e ganhar dinheiro honestamente não consegue. A imensidão de impostos que a gente paga infelizmente não são convertidas em benefícios para a população, e sim pro bolso dos CORRUPTOS que todo ano de eleição colocamos no poder. A sujeirada é tão grande que quem não quer ser corrompido é ameaçado e acaba fazendo isso tb! É uma vergonha!

    ResponderExcluir
  16. Estou querendo fazer sabonetes em casa, para revender, haja vista que estou desempregada. Mas, vendo os comentários de vocês que já fazem, estou vendo que é complicado né.
    Fico pensando se sigo em frente com a idéia, ou não.
    O artesanato em sabonete me pareceu muito prazeroso e rentável.
    Mesmo diante de tanta burocrácia, será que vale à pena eu tentar gente !!!

    ResponderExcluir
  17. A única coisa que dar certo nesse país é ser
    Politíco corrupto. Ai sim, vc rouba a humanidade e tudo acaba em pizza. Quem começa a trabalhar honestamente tá sempre tomando na cabeça. Cadê a lei para prender os corruptos desse país? Infelizmente ela exite sim, somente no papel. Turma de ladrão.

    ResponderExcluir
  18. UFA!!! to chocada com tantas coisas q li aqui,tb to querendo entrar pra esse ramo pra poder aumentar a minha renda,mas essa historia de quimico eu ñ fazia idéia de q precisava mas vou tentar assimmesmo.afinal de conta sou brasileira e não desisto NUNCAAAAAAAAAA.rsrs.

    ResponderExcluir
  19. Meus caros colegas.

    Artesãos a união faz a força vamos criar uma cooperativa para assim diminuir as taxas com um responsavél técnico e impostos e assim divulgar o nosso produto para O MUNDO.E digo mais ARTESÃOS UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS!!!

    ResponderExcluir
  20. Noossa!!! Quanta burocracia! Ninguém merece. Pesquisei muito e agora lendo todos esses comentários fiquei perplexa... Esse é um país vregonhoso e con certeza CORRUPTO. Como o país que mais se cobre impostos não tem condições de dar assistência a população, aos trabalhadores, etc...
    UMA VERGONHA... Mas fazer o que é a triste realizadade, mas não devemos desanimar...kkk

    ResponderExcluir
  21. tudo comeca errado pelos cursos, como? uma pessoa faz um curso com certificado e tudo, e este para nada vale mais do que um conhecimento.? e na hora do vamos fazer acontecer, precisamos de outra pessoa com um alto tipo de formacao para responsabilizar da quimica do produto.?
    tudo deveria mudar de la das escolas que ministram estes cursos a sociedade com direito de ser legalmente fabricante do produto que se fez ao curso. se a escola è autorizada, o professor è autorizado o aluno depois de curso concluso deveria ser autorizado automaticamente com uma numeracao unica que cabe ele usar (caseiramente) ou industrialmente, poderia tambem o aluno autorizado asinar um termo de unica responsabilidade ao produto fabricado. Nòs na sociedade nao importamos de pagar um curso seja ele quanta carga horario for necessario para ser autorizado a produzir o fruto do curso que se dedicou.

    ResponderExcluir
  22. Se algúem precisar de um farmacêutico responsável técnico é só entrar em contato comigo, trabalhei criando fórmulas para indústrias cosméticas e conheço toda a legislação meu email é: flavinhasouza60@hotmail.com, quem sabe não podemos trabalhar juntos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flávia, vc tem skype???..Acho que vou precisar de um Responsável..
      Abs

      Excluir
    2. oi flavia, me interesso
      meu facebook e sabonetes savoy

      Excluir
  23. Acho que devemos trabalhar com os pés no chão. No Brasil a grande maioria das empresas tem algum tipo de ilegalidade ou informalidade atrelado ao seus processos. O que você deve se perguntar de verdade é: Seus produtos e empresa tem a necessidade no momento de se preocupar com avisa, burocracia etc??? Quando chegar este momento dá-se um jeito! A não ser que você já tenha um boooom dinheiro para investir. Comecei a vender sabonetes artesanais a 2 meses, e sei que o caminho até a legalização é longo, mas não desanimo pois tenho prazer em fazê-los!

    ResponderExcluir
  24. Onísio Júnior disse tudo. É trabalhar na clandestinidade até fazer grana pra montar o laboratório é legalizar tudo. Isso ai!!

    ResponderExcluir
  25. Sou Engenheiro Químico e entrei no ramo de sabonetes artesanais por paixão. Faço os sabonetes por cold e hot process. Eu classifico meus sabonetes ARTESANAIS como vegetais, orgânicos e naturais. Para obter licença da Anvisa, eu não poderia mais classificá-los assim. Porque? Porque eu teria adicionar ingredientes artificiais por norma da própria anvisa. E digo com certeza que são alergênicos e secantes da pele tais como tensoativos artificiais, antioxidantes e preservantes. A natureza tem tanto a oferecer nesse sentido. Então prefiro trabalhar como verdadeiro artesão e produzir o melhor sabonete que uma pessoa poderia usar CEM PORCENTO NATURAL.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ingá Saboaria. Meu nome é Carla e gostaria de ter contato com você para tirar algumas dúvidas sobre sabonetes artesanais. Meu e-mail é carlarfn@yahoo.com.br. Se você puder me enviar um e-mail com seu endereço eletrônico ficaria muito grata.

      Atenciosamente,

      Carla

      Excluir
  26. Olá Ingá Saboaria! tambem faço cold e hot, além dos glicerinados, gostaria de manter contato, meu email é aromasdaldeia@hotmail.com
    Abraços

    ResponderExcluir
  27. http://www.facebook.com/emporioessencyall
    eu recomendo para quem mora na grande sao paulo

    ResponderExcluir
  28. Olá...Estou querendo começar a fabricar um sabonete artesanal, entretanto gostaria de faze-lo de forma artesanal, seria uma sabonete em pasta desengraxante.
    Pelo que analisei nos portais para conseguir a legalização de minha empresa existem duas possibilidades:
    1ª Montar empresa de fabricação de Higiene pessoal, nessa possibilidade existe a necessidade de legalização pela Anvisa
    2ª Montar a empresa como Artesão, nessa não existe a necessidade do controle inicial da Anvisa.

    Gostaria de um comentário, se minhas possibilidades estão corretas...

    José Luiz.'.

    ResponderExcluir
  29. Olha só DEUS mesmo. kkkk
    Que burocracia para os trabalhadores em artesanato. E o MENSALÃO como fica? Termina em pizza mesmo, mas temos que acreditar em nossos sonhos e seguir em frente. Pessoal um FELIZ 2013 para todos....

    ResponderExcluir
  30. Porque que pra expor sabonete na feira livre , não precisa de toda essa burocracia? O produto é feito em casa mesmo. Mas se for vender em farmacia , lojas etc... precisa de um laboratorio, pagar um quimico e toda essa marmelada toda ,sendo que o produto é o mesmo, a maneira de fazer é a mesma.O sabonete é feito de totalmente de maneira artesanal.

    ResponderExcluir
  31. Olá
    Eu quero trabalhar com sabonetes em casa, jamais pensei que tinha toda essa burocracia, será que mesmo em casa precisarei de tudo isso?
    Sil

    ResponderExcluir
  32. Olá
    Eu mandei um email para o Peter Paiva sobre esse assunto, estou aguardando uma resposta dele, depois falo para vcs.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mande sua resposta para o meu e-mail tenho muito intersse nisso meu e-mail
      mgiollo2010@hotmail.com

      Excluir
  33. Achei uns sabonetes ótimos que são fabricados no RJ. Vejam: https://www.facebook.com/aromasdeolindaprodutosartesanais

    ResponderExcluir
  34. o cliente que irá comprar um sabonete nas feiras não ficará isento de qualquer risco a sua saúde certo por que na feira pode-se vender sem ter toda legislação , alguém pode me explicar .

    ResponderExcluir
  35. Fiz uma pesquisa e encontrei uma nota da Advogada do Peter Paiva.
    Olhem o link, é um arquivo.

    www.drfotos.com.br/casabella/vigilanciasanitaria.doc

    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ainda há luz no fim do túnel!

      Excluir
  36. 1.3.5. Cosméticos artesanais
    A regularização dos cosméticos produzidos artesanalmente é a mesma dos cosméticos industrializados, ou seja, se tiverem a finalidade de comercialização, deverão seguir as mesmas regras de registro, notificação ou comunicação prévia.
    É importante destacar que pessoas físicas não poderão regularizar cosméticos. Somente poderão registrar, notificar ou comunicar produtos cosméticos a empresa (pessoa jurídica) que tenha Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE) junto à Anvisa.

    ResponderExcluir
  37. Olá Pessoal !
    Estou no ramo de cosméticos artesanais há um ano e meio e há 6 meses estou correndo atrás desta legalização, mas.... tá difícil ! Abaixo, descrevo um pouco desta experiência:
    Tenho lido muiiiiito sobre este assunto, inclusive o o texto da Fernanda Sendra (advogada do Peter Paiva), sugerido acima pela Beta Oliver, e foi através dele, que consegui fazer parte da Associação dos Artesãos de minha cidade, no entanto, NÃO pude fazer parte de nenhuma feira de artesanato, já que a Sutaco (Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades), não emite carteira de "sócio", para artesãos de cosméticos artesanais e por aqui, quem não tem essa carteirinha, fica "barrado" de participar da feiras, que contam com o apoio da Prefeitura. Eu até poderia comercializar os produtos em algum evento da cidade, mas de forma "particular", ou seja, pagando pela barraca (a bagatela de R$ 450,00 p/3 dias de evento) e mesmo assim, me arriscando a levar um "fecha” da vigilância.
    No ano passado, convidei a equipe da Vigilância Sanitária pra ir lá em casa, vistoriar o meu espaço e verificar a possibilidade da legalização, no entanto, por eu morar numa zona rural e sermos abastecido por água de Mina, ao envéz de água tratada pela Sabesp (concessionária de serviços de saneamento básico, localizada em São Paulo), eu deveria entregar laudos mensais (básicos) e anuais (completos) desta água, o que me custaria algo em torno de R$ 4 mil/ano, mesmo eu tendo informado que utilizo esta água, apenas p/lavar os utensílios e não pra manipular os produtos (nos quais utilizo água deionizada), ou seja, fazer sabonetes no sítio é Hiper, Master, Blaster inviável !
    Consegui apoio e um espaço todo azulejado, com pias de inox e tudo. A vigilância levou 3 meses pra ir vistoriar o local e não aprovou porque o teto era baixo demais e era mesmo, 1,80m.

    ResponderExcluir
  38. Sendo assim... busquei um local com as exigências que me fizeram: local todo azulejado (até o teto) ou com pintura lavável, com boa iluminação/ventilação, telas nas janelas e banheiro, cuja porta não deveria “dar de frente” p/nenhuma das áreas que o “espaço” deve conter: entrada, saída e manipulação. -> O local precisa ser divido em 3 áreas, já que a matéria-prima deve entrar por uma porta, ser estocada em local apropriado, com prateleiras laváveis (não vale armários de cozinha, desses comprados em lojas populares, feitos em MDF ou algo parecido), p/depois poder ser levada na área da manipulação (onde os produtos serão feitos) e só então, “sair” pra área de estoque de produtos já acabados. Ah! nenhuma destas áreas deve ter contato direto uma com a outra, (deve haver um corredor entre elas ou algo parecido), principalmente o banheiro, pois eles alegam que se alguém tiver que fazer o “número 2” (o número um é o xixi), as bactérias irão contaminar os produtos.
    Acha que acabou? Ainda não ! Também é preciso que o teto fique à 3 metros de distância do chão, com tolerância máxima de 20cm, ou seja, o local deveria ter no mínimo dos mínimos, 2,80 metros de altura (o que foi bem difícil de achar, pois nas construções mais recentes, o pé direito é de 2,70m).
    Tudo bem... fui pesquisar o quanto tudo isso iria me custar...
    Pesquisei o preço de divisórias em pvc lavável (p/poder dividir os espaços conforme solicitado), vidros pras prateleiras, etc... e fui então, buscar na vigilância, a descrição do que mais era preciso, pra enfim, legalizar a produção. Ficaram me “passando” de um pra outro (igual às operadoras de telefone fazem com a gente), e ninguém sabia me dar mais informações além das que eu já sabia, foi então, que me exigiram o nome do Técnico Responsável, pra poder me passar mais informações, é mole ! Eu já sabia que precisava deste profissional e estava em busca dele, só não sabia que esta era uma exigência pra obter a devida atenção deles!
    Buscando o tal Técnico, fui informada de que a Vigilância também irá me exigir um local com temperatura de 21 graus, alegando que abaixo ou acima desta temperatura, haverá proliferação de bactérias. Outro detalhe: estas exigências eram porque eu trabalharia sozinha, se eu contratasse um funcionário, precisaria ter banheiro e vestiário masculino e femino. Tá bom pra vocês?
    Quase desisti, mas resolvi fazer mais uma tentativa e liguei pro Studio Peter Paiva e lá, fui informada que é assim mesmo, cada vez a Vigilância exige mais e mais coisas (praticamente todos os alunos, reclamam que eles nunca passam a informações de uma só vez). Sempre que você consegue resolver um assunto, eles nos cobram outro e assim vai. Os fornecedores de matéria-prima podem nos fornecer laudos técnicos dos materiais adquiridos, no entanto, de acordo com a vigilância, a partir do momento que os manuseamos, o laudo já não basta. Seremos os totais responsáveis e caso haja alguma denúncia, todo o material que tivermos pronto será apreendido e nós multados, pois por estarmos trabalhando na clandestinidade, eles nem se preocuparão em mandar nossos produtos p/análise. Além disso, ainda corremos o risco de um grave processo, dependendo do motivo da denúncia.
    Falta-me agora, obter informações de um advogado, sobre os reais riscos, pois a vigilância parece mais se preocupar em me colocar medo do que me ajudar a fazer tudo certinho. Sei que deve haver exigências, mas espera aí, como pode ser legalizado um trailer de lanches, que fornece produtos que “vão pra dentro da gente” e haver tanta exigência, pra produtos que serão utilizados na parte externa do corpo? Será mesmo que eu não posso utilizar os laudos dos fabricantes das matérias-primas? Por que não posso fazer sabonetes ensinados nos programas de tevê, mas posso fazer tortas e salgadinhos pra serem vendidos nas festas de igrejas ou outros eventos da cidade? Qual a diferença?
    Observação: não tenho nada contra nenhum dos profissionais citados, estou apenas trocando minha experiência com vocês, e tentando entender a lógica de tudo isto.

    ResponderExcluir
  39. Infelizmente td isso é desanimador,estava tão empolgada para iniciar nesse ramo pois adoro artesanato me indentifiquei muito com a arte de fazer sabonetes artesanais.
    Mais infelizmente o nosso país nos prepara para fazer sempre o que não é certo(Ilegalidade)Pois quando queremos fazer tudo legalmente somos impedidos,desmotivados,desaimados e multados por está fazendo o que é errado.Será que não damos mais lucros e menos trabalho à eles sendo ilegais?pois além da multa tem sempre o jeitinho para aliviar as coisas nada que alguns Reais não resolva.
    Acho que já é hora dos artesãos se unirem e buscar uma solução pra isso.

    ResponderExcluir
  40. Meu Deus... já desisti!
    =/

    ResponderExcluir
  41. Acredito que quem persiste no sonho, sempre alcanca. Nao devemos desistir. A cada dificuldade uma experiencia. Moro fora do pais nos Estados Unidos e estou interessada em comecar.Imagine aqui as leis sao mais rigorosas. E mesmo assim nao vou desistir.

    ResponderExcluir
  42. Uma pergunta de uma leiga...Eu tb faço sabonetes há uns 4 meses e estou querendo legalizar, mas pelo visto é bem burocrático...mas e se eu colocar nos rótulos do produto que não deve ser usado como cosmético ou higiene, isto é, ser usado apenas como decoração e aroma??? Eu faço sabonetes decorados.

    ResponderExcluir
  43. Viver nesse país é desanimador. Estou horrorizada. Eu estava pensando em vender sabonete e li essa página e fiquei horrorizada!!Outro dia comprei um bolo em uma doceira famosa e achei muito caro. só deixei de considerar o produto caro quando li que R$ 20 era imposto. Um absurdo!!! A doceira já paga o imposto da farinha, do chocolate em pó, dos ovos etc e ainda por cima tem que pagar por ter produzido o bolo. Ela que teve o trabalho e o governo ganha 20 reais sem ter feito absolutamente nada!!

    ResponderExcluir